Doceira e poeta – 30 anos sem Cora Coralina

Cora Coralina, pseudônimo de Ana Lins de Guimarães Peixoto Bretas, era doceira, chegou a vender linguiça, banha e livros, mas sempre foi apaixonada por escrever. Começou ainda jovem, preenchendo as linhas de seus cadernos, ou escrevendo em papel de pão, durante a leitura do jornal, durante a madrugada… mas seus textos só foram publicados quando tinha 75 anos. Tornou-se então uma das poetas mais reconhecidas do país. Hoje, 10 de abril de 2015, é o 30º aniversário de morte dessa querida escritora goiana.

“Ela nunca procurou a poesia. A poesia já estava dentro dela”, afirma sua filha, Vicência Bretas Tahan, na entrevista abaixo. Assista:

Clique aqui e conheça a Coleção Cora Coralina