Crônica, o texto que afia a escrita e o escritor

Um dia, e não é raro que seja assim

Ignácio de Loyola Brandão é cronista há muitos anos. Milton Hatoum é cronista. Machado de Assis foi cronista. Segundo Loyola, escrever crônicas, pelas obrigações de cumprir prazos e de observar o mundo pelas ruas e notícias, ajuda o escritor a se manter afiado, atento. Nesse vídeo, ele reflete sobre o gênero e fala de seu livro Se for pra chorar que seja de alegria (Global Editora).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *